Tenho a impressão de que os 10 últimos anos da minha vida foram planejados para que eu aprendesse. Passei por muitos problemas, mas estou aqui. São, salvo e com as lições aprendidas. Uma das principais foi como lidar melhor com o dinheiro e como tenho demonstrado certo conhecimento financeiro, as pessoas começaram a me perguntar sobre. Alguns desses questionamentos me despertam vários outros. A pergunta que tento responder neste post é sobre o momento e o quanto aportar. Considerando que a construção do patrimônio depende dos aportes, essa pergunta se torna importantíssima.

Quanto consumir e quanto poupar? É claro que a resposta deve ser individual (proporcional). Atualmente, poupo R$ 350,00 por mês. Pouco, muito pouco. Todavia, é o que estou podendo guardar. Em uma situação ideal, acredito que devemos definir percentual do quanto poupar alinhado com nossas metas financeiras, refletindo sobre alguns pontos. O que espero do dinheiro? Complementar a renda, dobrar a minha renda ou não depender da renda fruto de meu trabalho? Em que momento da vida quero alcançar esse objetivo? Como quero viver agora? Sem usufruir de nada, aproveitando um pouco ou consumindo “topado”? Na jugular! Essas são as perguntas que vão nos levar a onde queremos!

O que espero do dinheiro?

Percebo que a maioria dos blogueiros querem o que chamam geralmente de independência financeira ainda na juventude. Não tenho clara essa ideia. Sei que espero poupar, mas não creio que o volume de meus aportes façam com que eu não precise mais trabalhar. Pelo menos, não na minha juventude. Então, o mais sensato é definir que quero algo intermediário como dobrar a minha renda. Não serei livre do trabalho, mas terei bastante grana pra gastar (essa parte eu gosto). Quero que num feriado prolongado, eu compre, sem antecedência, passagem para a Austrália para mim, esposa e filhos e nem me preocupe com p**** nenhuma. Pensando assim, não preciso sacrificar minha cerveja, a diversão da minha família nem outros prazeres matrixianos. Uma fuga paulatina da corrida dos ratos.

Em que momento da vida quero alcançar essa renda financeira?

Quero alcançar esse objetivo daqui uns 15 anos. Alguns colegas, mais jovens, certamente acharão um objetivo modesto demais. Porém, já não tenho a juventude ao meu lado. Então, é o que tem pra hoje. Muito melhor do que fazer vários consignados, financiar a casa própria e financiar um carro atrás do outro. Isso sim é prejuízo. Meu atual e pequeno conhecimento já me empurrou a pílula vermelha: 1. É proibido utilizar dinheiro de terceiro; 2. Devemos poupar para construir um patrimônio.

Como quero viver agora?

Sinceramente, não tenho grandes pretensões no presente. Apenas obedecer ao meu simples sistema de consumo. Quando eu conseguir ser aprovado no concurso de auditor fiscal, vou poder ampliar meu consumo e ainda aportar bem mais. Proporcionalmente, vou aumentar mais o destinado ao sistema de investimento, que ao sistema de consumo. Isso fará com que o meu nível de consumo não suba tanto, bem como vai encurtar o prazo para dobrar a minha renda, uma vez que os aportes serão muito maiores.

Comentários

Me sinto aliviado com as respostas :). Tenho a certeza que devemos definir o percentual que vamos poupar/aportar com base em respostas de perguntas como essas. Caso contrário, será algo sem sentido e arbitrário demais. Algo penoso, quase irracional. Não acredito que devamos gastar tudo que ganhamos. Também tenho certeza de que não devemos poupar de maneira a tornar nosso presente desgraçado, “lutando diariamente contra a Matrix”. Cara, posso morrer amanhã. Não deve ser diferente a “vida” pós-morte de um milionário da de um miserável.

Sigo minha estratégia para aumentar a renda, aportando pouco enquanto não consigo mais. Curtindo a minha família e alguns prazeres mundanos. Se algo acontecer comigo, minha família terá alguma segurança financeira para prosseguir. É isso.

Amigo, eu acharia muito interessante se nos comentários você respondesse essas três perguntas:
O que espero do dinheiro?
Em que momento da vida quero alcançar essa renda financeira?
Como quero viver agora?
Abraço!

Anúncios

6 comentários em “Consumir vs. Poupar

  1. Cara eu tenho uma “filosofia” que praticamente tudo o que nos acontece serve como aprendizado.

    Por mais simples que o evento seja, sempre tem uma lição para ser tirada.

    Também passei por poucas e boas por causa de dinheiro, mas como consolo eu imagino que é uma lição para aprender e não cometer mais erros no futuro.

    Abs

    Curtido por 1 pessoa

  2. O equilíbrio é muito importante. A gente tem que aproveitar o momento presente de forma inteligente e saudável, sem perder o controle.

    O que espero do dinheiro? Que ele me proporcione tranquilidade. Não creio que devo parar de trabalhar qdo estiver com renda passiva equivalente ao que ganho hj, mas quero poder me dar o luxo de tirar férias sabáticas, por exemplo, para fazer coisas que gosto.

    Em que momento da vida quero alcançar essa renda financeira?
    Acho que aos meus 50-55 já devo estar com um bom patrimônio para o meu padrão de vida.

    Como quero viver agora?
    Estou bastante contente com o padrão que tenho hoje em dia. Sou bastante consciente em relação ao consumo, então mesmo tendo tido aumento de salário, por exemplo, mantenho os mesmos gastos, mas aumento o meu aporte, de modo que consigo encurtar a minha IF.

    Abraços

    Curtido por 1 pessoa

    1. EP, estamos alinhados. Quando eu chegar a idade comentada, quero ter grana pra tirar uma licença não remunerada e sumir no mundo, só curtindo as praias deste país. Espero que Deus me dê saúde para alcançar esses tempos. Abraço e obrigado pela contribuição. Serve para galera comparar com suas ideias e quem sabe, ter algum insight.

      Curtido por 1 pessoa

  3. O post pareceu uma reflexão para si mesmo. Também me faço muito essas perguntas. Não sei sua situação, mas para mim o trabalho é insuportável (não qualquer trabalho, mas o meu trabalho).

    Acho que a visão normal de consumo, como uma recompensa pelo inferno do trabalho, não faz sentido. Por isso busco a disciplina através da poupança e investimento.

    Curtido por 1 pessoa

    1. IF, você tem razão. O post é um reflexão. Na verdade, todo este blog. Fico feliz das pessoas visitarem e compartilharem seus pensamentos também. Sobre o inferno do trabalho, concordo. O meu também é horrível. Porém, o consumo é necessário. Hoje tomei uma Heineken. Gostei :). Meu filho e esposa, picolés rs. A gente tem carro e roupa, além de consumir serviços básicos. Enfim, o consumo faz parte e entendo o seu ponto. Também estou atrás dessa disciplina. É difícil, mas caminho com um pé após o outro. Abraço e obrigado pela visita.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s