Neste texto falarei das melhores técnicas de estudo, segundo este estudo, bem como sobre concursos públicos. Não recomendo a leitura se os assuntos não forem do seu interesse. Bem, estudo para concursos desde 2012 e venho colhendo os frutos de meus esforços desde então. Nunca fui o mais inteligente da sala, mas devido a persistência através dos anos, venho me destacando. Sempre busquei conhecer várias ferramentas, autores, materiais, debates, bancas, videoaulas e técnicas de estudo. Isso me deu uma boa bagagem, porque aprendi na prática o que me dava retorno.

Há uns 3 anos, fiquei sabendo de uma pesquisa científica que tentava classificar técnicas de aprendizagem conforme um nível geral de utilidade.  Com base no resultado da pesquisa, que analisava vários fatores de cada técnica, elas foram qualificadas como de utilidade low (pequena), moderate (média) e high (grande). Percebi que as duas principais técnicas do meu sistema de estudos eram as únicas que tinham utilidade high. Estou fazendo um bom trabalho.

As técnicas

As técnicas são a elaboração de perguntas (elaborative interrogation), explicar o conteúdo para si mesmo (self-explanation), resumo (summarization), grifar textos (highlighting), associação mnemônica (the keyword mnemonic), associação de imagens a textos (imagery use for text learning), releitura (rereading), teste prático (practice testing), práticas distribuída de estudos (distributed practice) e estudo intercalado (interleaved practice). Primeiro falarei de cada uma delas individualmente, depois colocarei um ranking por nível de utilidade, fazer algumas observações e falar da minha experiência e resultados.

A elaboração de perguntas envolve a criação de perguntas pelo próprio estudando para que ele mesmo responda a fim de esclarecer a relação entre conceitos. Por exemplo, para que serve a margem bruta? Como a margem bruta é calculada? Serve para todas as empresas? As respostas desenvolvem no estudante o entendimento do assunto.

A explicação para si do conteúdo permite aferir o entendimento da matérias, bem como verificar se ela foi adequadamente retida. Utilizo esta técnica junto com a anterior quando estudo uma teoria que eu nunca estudei antes ou que tenho dificuldades de entender.

A técnica resumo é de difícil aplicação, porque os discentes tendem a fazer uma seleção pessoal do que deve ser resumido e do que deve ser deixado apenas no texto base. Essa seleção pode permitir que ideias chave fiquem esquecidas.

A técnica de grifar textos possui o mesmo problema do resumo. Por vezes o aluno grifa o que é desnecessário, enquanto outras vezes deixa de grifar o que é essencial. É preciso ter muita maturidade na disciplina para fazer uso desta técnica.

A técnica de associação mnemônica não tem aplicação em todos os estudos, mas apenas quando há grupos de conceitos que guardam outros grupos de conceitos. É bastante aplicado em concursos públicos, pois frequentemente o objetivo é decorar um grupo de características de algum conceito específico. O primeiro que aprendi foi o LIMPE (legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência) e nunca esqueci. Isso foi em 2006.

A associação de imagens a textos também é bastante utilizada em concursos públicos em formato de “mapas mentais”, que são um conjunto de imagens associadas a conceitos que são ligadas por traços de forma a organizar a ideia central.

O-que-é-um-Mapa-Mental
Mapa Mental

A releitura é uma das técnicas que naturalmente são aprendidas. Você lê uma vez, lê outra vez, e assim sucessivamente. Utilizo quando não entendo algo ou quando é um conceito que considero importante e quero pegar algum detalhe a mais.

Os testes práticos são testes objetivos ou subjetivos sobre o tema estudado. Este é uma forma que traz bastante retorno no mundo dos concursos públicos, porque as bancas tendem a fazer perguntas sobre conceitos semelhantes, o que elas acreditam ser os mais importantes.

A prática distribuída de estudos se trata do estudo tradicional, mas distribuído ao longo do tempo. Por exemplo, em vez de estudar uma matéria inteira hoje. Estudar um pouco hoje, outro na semana posterior e assim por diante. Essa técnica não consiste em aumentar a carga de estudos, mas simplesmente distribuí-la no tempo.

O estudo intercalado se caracteriza pela alternância do estudo de disciplinas. Ou seja, não estudar o livro de matemática inteiro. Estudar um capítulo de matemática agora e, em seguida, estudar o de informática, intercalando as disciplinas.

O estudo

O estudo analisou cinco característica das técnicas de estudos: condições de estudos (learners), materiais (materials), questões para implementação (issues for implementation), tarefas de aplicação (criterion tasks) e características do estudante (educational context).

A essas características foram atribuídas uma letra: P, que indica que a técnica se mostrou efetiva em vários itens de estudos, N, que indica que a técnica é totalmente inefetiva, Q, que evidencia que a técnica pode ser aplicada em determinadas situações e não em outras, I, quando não se pode determinar a eficácia da técnica.

técnicas de aprendizado
Resultado do Estudo

Para facilitar, segue em português o ranking abstraindo as características e focando no resultado da monografia.

Ranking das técnicas de estudos
Posição Técnica Utilidade
 1º Prática Distribuída  High
 2º Teste Prático  High
 3º Estudo Intercalado  Moderate
 4º Explicação para si  Moderate
 5º Elaboração de Perguntas  Modarate
 6º Releitura  Low
 7º Associação Mnemônica  Low
 8º Resumo  Low
 9º Mapas Mentais  Low
 10º Grifo  Low

Claro que progressivamente devemos utilizar cada vez mais as técnicas mais eficazes, embora não seja necessário abandonar técnicas como o resumo e o grifo, devemos deixá-las para segundo plano como técnicas auxiliarias.

A minha forma de estudar

Como já disse, estudo desde 2012 e já obtive vários bons resultados: primeiro lugar em alguns concursos. Hoje sou analista em um órgão público e estudo nos horários do almoço e após o meu filho dormir lá pelas 9 horas da noite. Assim, preciso otimizar o uso do meu tempo, além de aplicar formas efetivas de estudo, uma vez que estudar gera um desgaste natural.

A configuração atual do meu sistema de estudos consistem em ler a teoria de uma determinada disciplinas conjuntamente com testes práticos para fixar a matéria no horário de almoço. De noite, após o meu filho dormir, faço uma junção de prática distribuída e estudo intercalado.

Na hora do almoço, utilizo materiais especializados para concursos públicos que mesclam teoria e questões de concursos anteriores da teoria lida. Faço isso para novas matérias ou para rever matérias estratégicas para o concurso alvo. De noite, faço um simulado com questões aleatórias de todas as disciplinas que estudo. Tal comportamento é o estudo intercalado e a prática distribuída simultaneamente.

Pretendo escrever vários posts destinados a colegas que estudam para concursos e buscam conhecimento sobre técnicas, materiais, ferramentas e outros itens. Obrigado e voltem sempre. Abraço!

Anúncios

3 comentários em “Quais as melhores técnicas de estudos?

  1. Oi parceiro, acho que já disse que também estudei para a RFB, mas devido a alguns eventos da minha vida que não vem ao caso agora eu parei. Eu estava obtendo 80% de rendimento nas questões.

    Todas as suas dicas são excelentes. O bom concurseiro as conhece na ponta da língua e as adapta na sua rotina e nas sua forma de estudar.

    Não existe fórmula mágica, o que existe é HbC – Horas Bunda Cadeira (algum concurseiro famoso que disse isso e eu esqueci o nome).

    Enfim, boa sorte na jornada!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s