Boa tarde. Pensei nesse post e fui compelido por meus pensamentos a escrevê-lo imediatamente. O motivo é simples, o orçamento familiar me trouxe paz e isso ninguém compra. Antes eu achava que planejar receitas e despesas não me ajudaria, além de me trazer um trabalho extra. Todavia, eu estava errado.

Antigamente, eu gastava tudo que ganhava e eu nem sabia com o que foi. O dinheiro acabava antes do final do mês e eu ficava ansioso esperando o próximo pagamento e logo o dinheiro acabava e o ciclo recomeçava. A minha vida era uma tortura sem fim. Se esse é o seu caso, continue lendo e teste as informações que eu vou passar neste post, porque elas podem tornar a sua vida mais saborosa :).

Primeiro quero falar da utilidade do orçamento. Em primeiro lugar, ao final do mês, saberemos com o que nós gastamos. Quando temos essa ciência, acabamos por perceber que há itens que nós gostaríamos de gastar mais e outros menos. Essa consciência é fundamental.

Outro ponto importante é que teremos a oportunidade de estimar o que queremos realmente gastar com cada item. As vezes, queremos gastar mais com Lazer e menos com Combustível. A gente orça e tenta executar conforme o planejado. Caso consigamos executar conforme o planejado, ótimo, caso contrario, poderemos remanejar parte de um item do orçamento para outro item.

Percebi que gastava mais de R$ 2.000,00 com supermercados. Planejei gastar R$ 1.600,00 e remanejei os R$ 400,00 para o lazer. Comecei a fazer compras semanais em um supermercado distante, mas bem mais barato que o mercadinho da esquina. O resultado foi que gastei menos que os R$ 1.600,00 e ainda tive uma lazer bem maior.

O orçamento familiar também é interessante para ritmar os gastos. Se você orçou para um item R$ 1.000,00 para o mês corrente, caso esteja na metade do mês o ideal é que tenha executado algo próximo da metade do valor: R$ 500,00. Caso no início do período já tenha gastado R$ 800,00 dessa conta, desacelere os gastos ou, se não houver outra forma, realoque o orçamento retirando valores planejados de uma ou de várias contas que os gastos estejam andando na velocidade controlada, repassando para a conta que está sem saldo.

Antigamente tínhamos que criar uma planilha e lançar gasto por gasto. Hoje já não é mais assim. Há vários aplicativos para serem baixados. Eu uso o Guiabolso. Ele acessa todas as minhas despesas da conta e do cartão e tenta classificar. Quando há erro na classificação do aplicativo, no máximo tenho que fazer uma classificação manual da despesa. Veja algumas imagens do aplicativo:

guia_bolso_android

Interessante que o aplicativo divide os gastos em três grandes contas de despesa: Essenciais, Estilo de Vida e Financeiro. Essenciais são os gastos que obrigatoriamente deverá fazer como, por exemplo, aluguel, transporte, educação, alimentação e similares. Estilo de Vida são os gastos que a gente faz por opção como, por exemplo, bares e restaurantes, cinema, conveniência e afins. Financeiro deve ser a menor parte. Se você tem dívida, esta conta deve abarcar contas ligadas a suas dívidas e, se você não possui conta, deve registrar seus investimentos.

Atualmente utilizo algo próximo de 40% para despesas essenciais, 40% para despesas de estilo de vida e 20% para o financeiro. Dentro de cada uma dessas contas possuo contas mais específicas como Educação dentro de Essencial, Conveniência dentro de Estilo de Vida e Aporte dentro de Financeiro.

Baixe o aplicativo e nos conte como foi a sua experiência. Tenha certeza que haverá uma mudança de postura frente o dinheiro que você ganha. No final, vai até sobrar um pouco :).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s